Inaugurado em Agosto de 2009
Contador de visitas

MSX GOLD MSX GOLD MSX GOLD: ANÁLISE DE CASH GUNS CHAOS

Publique sua análise
HOMETERMO DE USOMÍDIASJOGOSHISTÓRIA
SISTEMA DE BUSCAFALE CONOSCOLINKSMSX NO MUNDOOUTROS SISTEMASUTILIDADE GERAL


Jogos Aleatórios

ANÁLISE DE CASH GUNS CHAOS

Cash Guns Chaos
★★
Tipo:Jogo
Ano:2006
Gênero:Hack'n'Slash
Produtora:Sony Online Entertainment
Formato:Download digital (Pago)
Observações:--
Eu sempre desconfiei que os Alienígenas eram os grandes SACANEADORES do universo. Eles não querem nos ajudar, os E.T só tão de zoação! Fazem Crop Circles, sondas cerebrais, abduções, mutilações de animais inocentes... e reality shows! Sim amiguinho, e Cash Gun Chaos – Obra de arte do estúdio Sony Online Entertainment – é a prova de que existe vida sacaneadora em outros planetas.

Este jogo chegou diretamente à Playstation Store, durante o lançamento do PS3(AKA Jumbo Grill George Foreman). Custando a módica quantia de $9,99 dólares, Cash Gun Chaos é um Hack & Slash estilo arcade e típico exemplo de como uma empresa, ao criar uma engine de jogo básica, tenta lucrar até o último tostão furado sem muito esforço. Deveriam ter aprendido com a SNK.

Permita-me descrever a belíssima história: Vagabundo que se veste estilo anos 70, é abduzido por aliens. Os Aliens sacanas (sempre é bom ressaltar) são produtores de um reality show, onde o Vagal que se veste que nem Cheech & Chong, terá de sobreviver em batalhas por dinheiro e prêmios, em arenas esdrúxulas como Circos, cidades de faroeste e ilhas do tesouro. Esta é a história. Que bosta, não acha? Plágio do SMASH TV, sem o brilho e safadeza que só os anos 80 tinham.

Os gráficos são no mínimo medíocres, e poderia muito bem ter sido lançado para o PSONE. Nem sequer um Anti-Aliasing decente os malditos da SOE tiveram a coragem de colocar. A resolução máxima é 720p, o que é irritante para aqueles que possuem uma TV de alta definição e cabo HDMI. O Character Design é horrível, transmite a sensação de que contrataram um bando de MACONHEIROS para desenhar os personagens, em um estilo cartoon new age ao pior estilo Genndy Tartakovsky. Os cenários são muito ruins, e os inimigos patéticos quando mortos, explodem em sangue fajuto, seus restos mortais atrapalham a sua visão, e você não sabe o que é dinheiro, o que é inimigo e o que é o chão do cenário. Uma agressão visual COMPLETA, o que só reforça o fator frustrante.

A jogabilidade é bastante simples, o que não compromete (muito) durante o jogo. Movimente o personagem com o analógico esquerdo, e atire em oito direções com o analógico direito, fique atento ao radar no canto superior esquerdo, para saber a posição do inimigo, de armas e itens. LEMBRE-SE: caso queira mesmo se aventurar no mundo dos aliens malandrões, o RADAR É SEU MELHOR AMIGO.

O jogo seria “passável” se não fossem pequenos probleminhas, que não custariam nada ser solucionados. Primeiro, enquanto estiveres atirando em hordas de monstrinhos ridículos, ao mesmo tempo em que tenta desesperadamente esquivar, se andares para baixo, a câmera te prejudicará. É muito frustrante estar matando geral, conseguir muita grana e do nada ser atingindo por um inimigo que causa morte instantânea, como por exemplo, carros de circo, touros, cavaleiros, carroças, caranGAYjos gigantes e outras loucuras. Se estiveres próximo as paredes localizadas na parte inferior dos cenários, o ângulo de câmera irá prejudicar tua visão, e você irá contar apenas com o radar, o que inevitavelmente irá te irritar uma hora ou outra.

As músicas são poucas, estilo punk-rock bem retrô, composições de bandas que com certeza devem ter trabalhado por um prato de comida. Que fique constatado, que eu juro por JCVH (Jesus Christ Vampire Hunter), não irei pesquisar os nomes de tais músicas nem de seus compositores. Destaque para música do “Velho barreiro”. A única que vale a pena. Os sons de efeito cumprem seu papel, e durante o jogo o locutor irá dizer frases escrotas e outras abrobinhas.

A engine de jogo é a mesma da série Untold Legends, também da SOE, trilogia que irei resenhar em outra oportunidade. O que nos ensina que a SOE, quer ser uma Rockstar da vida, que produziu o GTA e usou a mesma engine para fazer outros games.

A dificuldade do jogo é incrivelmente roubada, até mesmo nos níveis mais fáceis, somando jogabilidade simples, ângulo de câmera ruim e hordas incontáveis de inimigos, e diversas fases divididas em três temporadas. O fator frustração irá lhe deixar mais esclerosado que o Capitão Nascimento.

Pessoalmente, eu desdenho níveis de dificuldade abaixo do mais extremo de todos. Eu gosto do desafio, mas este jogo consegue me irritar. Acho que estou me tornando um psicopata, em tentar zerar este jogo no nível Badass. Na verdade, é apenas a revolta por ter pagado 10 dólares por este jogo maldito, e como eu sei que a Sony não irá me devolver o dinheiro, eu tenho de descontar no maldito jogo. E ele está levando a melhor até agora.

Veredicto – Um jogo casual, que não vale o dinheiro investido. A versão do PSP tem um visual mais limpo, porém, a jogabilidade consegue ser pior ainda. Se fores um entusiasta de jogos de tiro estilo arcade, hack&slash, ou simplesmente um louco que acredita que deve derrotar uma dificuldade tão absurda, então este jogo vale pela curiosidade. Lamentável, a Sony Online Entertainment está cada vez pior. Estes programadores deveriam largar as drogas.

Replay Value zero. Graças a este jogo, tive a certeza de que alienígenas existem, e são uns loucos que torturam seres humanos com overdose de punk-rock em cenários que parecem quadros de Jackson Pollock.

Com 10 dólares eu podia ter enchido a cara de cachaça.



Ocorreu um erro neste gadget

Últimos Posts

BlogBlogs.Com.Br