Inaugurado em Agosto de 2009
Contador de visitas

MSX GOLD MSX GOLD MSX GOLD: ANÁLISE DE MORTAL KOMBAT II (GENESIS)

Publique sua análise
HOMETERMO DE USOMÍDIASJOGOSHISTÓRIA
SISTEMA DE BUSCAFALE CONOSCOLINKSMSX NO MUNDOOUTROS SISTEMASUTILIDADE GERAL


Jogos Aleatórios

ANÁLISE DE MORTAL KOMBAT II (GENESIS)

MORTAL KOMBAT II
★★
Tipo:Jogo
Ano:1994
Gênero:Luta
Produtora:Probe
Formato:ROM
Observações:--

Mais uma conversão POBRE da PROBE - esse trocadilho não foi intencional.

Numa tacada só conseguiram excluir as telas contendo a história do jogo e a história dos personagens também. Conseguiram capar mais coisas do que no MK1. PARABÉNS!!

Enquanto o SUPER NES ganhava uma versão caprichada, quase "Arcade Perfect", o Mega Drive ganhava de brinde a Probe fazendo conversões de jogos clássicos com o rabo. Aí obviamente os Nintendistas esporravam na cara dos proprietários de Mega Drive e a chacota não tinha fim. Apesar da conversão de MK1 também ser horrível, pelo menos havia sangue que a Nintendo proibiu no console dela e os "Seguistas" tinham algo pra se gabar. Agora não, podiam enfiar 3 dedos no cu e morrer.

Além disso, cortaram milhares de vozes do narrador incluindo o clássico "Round (1), (2) ou (3)". O narrador também não anuncia o nome do vencedor no fim da luta e nem Flawess Victory, muito menos Fatality, Babality ou Friendship. Pra MELHORAR ainda mais essa estupenda versão, o narrador sequer diz o nome dos personagens após selecioná-los na tela de escolha. Que versão maravilhosa. Digna de ir pro lixo.

E não é só isso!
Ainda cortaram uma porrada de detalhes bacanas do original , como os dragões voando ao fundo de Kombat Tomb, faltam algumas correntes em Dead Pool, na fase da floresta as árvores somente abrem a boca mas não emitem som nenhum. Num outro estágio está faltando um sacerdote flutuando em frente a uma janela circular por onde nuvens passam. Quando se enfrenta a Jade, não há o cenário Goro's Lair, e sim uma versão modificada do Portal em azul.

Pra terminar de foder o jogador com um consolo de ouro no meio do rabo, não existe final com as imagens clássicas do Arcade. Shao Khan simplesmente explode e passam um texto com a tela escurecida na qual temos ao fundo o personagem em pose de vitória. Que BELA BOSTA DO CARALHO!!

Quando se executa stage fatality em The Pit II o personagem sequer grita ao cair. ESSA PROBE SOFTWARE É UM LIXO!! Dá pra entender por que uma empresa dessas vai à falência.

Agora vamos falar dos aspectos bons do jogo:

Os gráficos estão melhor em relação à conversão do primeiro título. Principalmente as cores que são mais fieis e os projéteis que os personagens lançam também mantiveram esse padrão de qualidade. A jogabilidade está perfeita e o jogo é bastante dinâmico, não há slowdowns e outras merdas que poderiam prejudicar o jogo.

As vozes (que restaram) estão fieis ao Arcade, apesar do chip sonoro do Mega Drive não ser dos melhores pra reproduzir esse tipo de som.

Reduzi a nota do jogo devido aos cortes drásticos e exagerados que essa versão sofreu. O MEGA DRIVE MERECIA COISA MELHOR. E ERA CAPAZ DE FAZER MAIS. Mas não souberam , ou provavelmente não quiseram, porque parecem ter feito o jogo nas coxas, aproveitar o potencial do Mega Drive.

Resumo da ópera: Essa versão não vale a pena. Das versões caseiras, excetuando-se as conversões de Amiga, Game Gear, Game Boy e Master System, essa é a que menos vale a pena. Pau no cu da Probe.



Ocorreu um erro neste gadget

Últimos Posts

BlogBlogs.Com.Br