Inaugurado em Agosto de 2009
Contador de visitas

MSX GOLD MSX GOLD MSX GOLD: ANÁLISE DE STREET FIGHTER II' CHAMPION EDITION

Publique sua análise
HOMETERMO DE USOMÍDIASJOGOSHISTÓRIA
SISTEMA DE BUSCAFALE CONOSCOLINKSMSX NO MUNDOOUTROS SISTEMASUTILIDADE GERAL


Jogos Aleatórios

ANÁLISE DE STREET FIGHTER II' CHAMPION EDITION

Street Fighter II' Champion Edition
★★★★
Tipo:Jogo
Ano:1992
Gênero:Luta
Produtora:Capcom
Formato:Arcade Board
Observações:--

A edição campeã! Ou edição do campeão, ou edição dos campeões, conforme sua interpretação do inglês.

Upgrade do SFIIWW que estava estourado nas paradas de sucesso , um verdadeiro blockbuster dos videogames, arrebentando de vender também na sua conversão para o SNES, que era na época a mais próxima ao Arcade e a mais jogável, mesmo a placa original da Capcom tendo um processador gráfico e sonoro muito superior aos consoles da época.

Colocaram um apóstrofo depois do número II, no título do jogo. Nunca entendi o porquê disso. Os garotos da minha rua juravam que esse apóstrofo tinha um uso matemático, o que para eles era interpretado como "Street Fighter 2,5" ou "Street Fighter II e 1/2". Enfim, acho que a única razão desse apóstrofo no título é diferenciar em relação ao título anterior e chamar atenção para as novidades que ele continha.

Mudaram a paleta de todas as fases, aquelas que eram ao entardecer - como o cenário do Ryu - passaram para o anoitecer, as que eram de dia, como o estágio do Guile, passaram ao entardecer. E em alguns cenários fechados, mudaram a paleta mesmo assim. Pra parecer que tinha algo de relevante "a mais" no jogo.

Um único detalhe que chama a atenção, fora as cores, é que resolveram cortar aquela Palmeira que ficava em primeiro plano no estágio do Sagat. Algum filho da puta deve ter mandado "cartinha" pra empresa dizendo que a Palmeira atrapalhava a visão do jogador - típica coisa de fresco.

O que importava mesmo é que agora podiam selecionar os chefões, enfrentar a CPU usando o mesmo personagem do jogador e dois jogadores poderiam escolher o mesmo personagem. Algo que não era possível em World Warrior. Isso obviamente tornava o jogo melhor que o antecessor, mas por ser claramente um caça-níquel capitalista do caralho, demonstrando toda a face mercenária da Capcom, teve sua nota reduzida.

Sério, bicho. Esse foi o primeiro de QUATRO (!!!) upgrades que a Capcom fez nesse jogo num prazo de 2 anos (1992-1994). É muita cara de pau. Ta certo que Street era um jogo viciante. Mas até a sem-vergonhice tem limites, bicho.

Resumo da ópera: Upgrade que permitiu aos jogadores uma maior gama de escolha de personagens e paletas alteradas nos cenários, para impressionar os mais bobalhões: ou seja, a garotada que frequentava o Fliper. Falou!!!



Ocorreu um erro neste gadget

Últimos Posts

BlogBlogs.Com.Br