Inaugurado em Agosto de 2009
Contador de visitas

MSX GOLD MSX GOLD MSX GOLD: ANÁLISE DE ALEX KIDD: THE LOST STARS

Publique sua análise
HOMETERMO DE USOMÍDIASJOGOSHISTÓRIA
SISTEMA DE BUSCAFALE CONOSCOLINKSMSX NO MUNDOOUTROS SISTEMASUTILIDADE GERAL


Jogos Aleatórios

ANÁLISE DE ALEX KIDD: THE LOST STARS

ALEX KIDD: THE LOST STARS

★★
Tipo:Jogo
Ano:1988
Gênero:Plataforma
Produtora:SEGA
Formato:Cartucho
Observações:--
Conversão do Arcade, que enganava pela capa , uma arte bem feita, trazendo Alex Kidd confrontando cartas de um baralho.

Jogo totalmente psicótico, misturando fantasia com non-sense, alguns inimigos totalmente doentios - como a criança peidando projéteis na terceira fase - e cenários que remetem à uma loucura sem fim.

Jogabilidade meio merda, com o pulo mais escroto da história dos jogos do Alex Kidd.

Basicamente, segundo a história do jogo, Alex Kidd tem que reunir 12 esferas do Zodíaco. Onde, teríamos supostamente 12 fases para cada esfera, mas na verdade, ao concluir a sexta fase, começa tudo de novo, nos mesmos cenários, com uma dificuldade um pouco maior. Patifaria sem fim. Tenho que conferir se o do Arcade é assim.

Os gráficos são até bacanas e bem coloridos, porém, o level design das fases e os inimigos são um pé no saco - apesar de eu reconhecer que as fases são bem variadas, embora sejam poucas.

Alex Kidd não tem barra de energia e sim barra de tempo, barra essa que não pode deixar acabar antes de terminar cada estágio.

O problema é que tudo "mata" o Alex, deixando sua barra cada vez menor.

É isso aí, talvez um dos piores do Alex Kidd de Master System.





Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.

Gadget

Este conteúdo ainda não está disponível por conexões criptografadas.
BlogBlogs.Com.Br